Como criar sua lojinha no Instagram

Você já deve ter ouvido falar sobre a possibilidade de criar o seu catálogo online e vender pelo próprio Instagram. Se sim, saiba que isso é sim possível! E hoje vou te mostrar o passo a passo para começar a vender pelo insta.

Se você não sabe do que eu estou falando, é sobre essa “sacolinha” que aparece, por exemplo, no perfil da Dobra nas duas imagens acima. Esse foi um recurso que surgiu em meados de 2018, e foi evoluindo bastante até chegar ao que temos como possibilidades hoje. 

Primeiro é importante saber que para ter uma loja no Instagram, você precisa de uma conta comercial e também de uma página do seu negócio no Facebook (ou uma conta no Gerenciador de Negócios). Isso porque vai ser pelo facebook que você vai conseguir gerenciar e organizar tudo! É lá que você cria seu catálogo e adiciona os produtos nas fotos que você postar no Instagram. Por isso, é essencial que o seu perfil no Instagram e o seu negócio no Facebook estejam vinculados.

Outro requisito é que a sua empresa venda bens materiais, ou seja, principalmente mercadorias físicas (por exemplo, no nosso caso, que vendemos cursos, a loja não é uma possibilidade) e que esteja nos países aceitos pela plataforma (o Brasil é um deles!). Os requisitos completos você pode ver aqui: https://web.facebook.com/help/instagram/1627591223954487?helpref=faq_content&_rdc=1&_rdr

Depois de conferir se você preenche todos esses requisitos, é a hora de começar a configurar a sua loja! Nesse momento, você vai fazer tudo pelo facebook. Existem 3 formas de fazer isso, e eu vou te mostrar o passo a passo de cada uma delas:

  1. Criar direto pela Página da sua empresa

Nesse caso, você vai abrir a sua página normalmente e acessar as configurações:Lá, você vai acessar a parte de “Modelos e Guias”:

Caso a opção “Loja” não apareça para você, é só ir no botão “Adicionar Guia” e selecionar essa opção!

Você verá que a opção “Loja” vai começar a aparecer na coluna esquerda na sua Página. Ao clicar nela, é só ir seguindo o passo a passo para configurar a sua loja.

Lembre de conferir que a opção “Finalizar compra em outro site” está marcada, pois só assim ele vai deixar você fazer o link com o Instagram depois.  E então é só começar a adicionar os seus produtos!

  1. Criar pelo Gerenciador de Negócios

Você irá acessar o seu Gerenciador de Negócios no Facebook. Para isso, é só clicar aqui e fazer o seu login: https://business.facebook.com/adsmanager/manage/

É só ir em “Criar catálogo” e começar o processo. Se você já tiver um catálogo e quiser editar, ele vai aparecer nessa lista, como no meu caso, e é só acessar para mudar ou acrescentar algo.

Aqui você deve escolher a opção que melhor se enquadra à sua empresa.

E, em seguida, você vai começar a configurar o seu catálogo! Ele pode ser todo feito pelo facebook, ou você pode integrar com alguma plataforma de ecommerce que você já use (essa parte eu explico na terceira opção, então, se for o seu caso, já pode pular para lá!).

Você deve conferir se a página selecionada é mesmo a sua, dar um nome para o seu Catálogo, e então é só selecionar o “Criar”.

E então você será direcionado para essa página: 

São muitos recursos para você explorar e ir descobrindo o que melhor encaixa para o seu caso. Minha dica é que você tire algum tempo para ler sobre cada um deles e testar – se não der certo, é só desfazer depois.

Para começar a montar o seu Catálogo, é só clicar em Produtos, e começar a adicionar o que você vende!

Você pode adicionar cada um deles manualmente, inserir uma planilha, ou importar do site da sua loja.

Para adicionar manualmente, você precisará inserir essas informações:

E ele passará a aparecer na sua lista de produtos nesse Catálogo:

Para fazer o upload dos produtos, a ficha é essa aqui:

Você deve inserir uma planilha contendo todos os produtos e eu sugiro que você leia o passo a passo antes de criar o documento, para garantir que não precisará fazer o trabalho duas vezes (ele fica nesse link aqui: https://web.facebook.com/business/help/1898524300466211?id=725943027795860)

E, para importar do seu site, você precisará adicionar um pixel linkado ao Facebook:

Nesse caso, a melhor pessoa para te ajudar é o Desenvolvedor que criou ou te ajudou a criar o seu site! Converse com ele que ele saberá te ajudar.

  1. Criar por meio de parceiros externos (outras plataformas de ecommerce)

Isso pode ser feito direto pela plataforma que a sua empresa utiliza, seguindo o passo a passo que eles disponibilizam, ou pelo Gerenciador de Catálogos do Facebook, como mostrado acima.

Depois de selecionar a plataforma que você utiliza é só seguir o passo a passo que vai surgir. Ele varia conforme a plataforma utilizada.

Após preenchido o(s) seu(s) catálogos, é a hora de fazer a ativação pelo Instagram. Para isso, basta acessar as suas configurações de conta e se cadastrar para a opção de compras:

A permissão pode demorar alguns dias para ser concedida, mas, depois disso, é só começar a marcar os seus produtos! Quando acessar a parte da loja, você terá a opção de escolher qual catálogo você quer vincular à conta.

Depois, é só criar um novo post (pode ser no feed ou stories) e escolher a opção Marcar produtos. No feed é como se você estivesse marcando uma pessoa, vai aparecer lá, embaixo de “Localização” e “Marcar pessoas”. Já nos Stories, vai ficar na aba de adesivos, lá onde você coloca gifs, enquetes, música, etc.

Quando você marcar pelo menos 9 produtos, você pode habilitar a aba Loja no seu perfil.

Agora você já sabe como começar a usar o recurso de compras do Instagram! Depois me conte se deu certo 🙂

*A sua versão do Instagram e do Facebook podem variar conforme o seu modelo de celular e versão dos aplicativos. Mas não se preocupe, o passo a passo será basicamente o mesmo 🙂

Seu negócio pode ajudar a mudar o mundo!

Você provavelmente já ouviu que todo negócio existe para resolver a dor de um cliente, para solucionar um problema. Mas, você já parou para pensar que a dor que você vai resolver poderia ser uma das dores do mundo?

Eu sempre quis empreender, mas também sempre sonhei em mudar o mundo, e não entendia muito bem como eu poderia fazer os dois: eu teria que ter uma empresa para resolver o primeiro e uma ONG para resolver o segundo? Quando eu descobri que poderia fazer os dois juntos, um leque de novas oportunidades se abriu! Já conversamos por aqui antes sobre Empreendedorismo Social e, hoje, eu vim oferecer para vocês um guia do que pode te ajudar a definir o problema que o seu negócio, ONG ou projeto irá resolver.

Você pode não se lembrar, mas provavelmente já viu esses quadradinhos coloridos em algum lugar:

Esses são os os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), ou Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, que foi definida pela comunidade global em 2015.

As ODS nada mais são do que um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para os países, buscando a prosperidade e que o país continue a se desenvolver cada vez mais, mas de forma sustentável. São 17 Objetivos, cada um deles com uma série de metas – são 169 no total! – e todos eles se complementam, são integrados e indivisíveis, e pautam o desenvolvimento sustentável em um tripé formado por três dimensões: a econômica, a social e a ambiental.

Assim, eles guiam os próximos 15 anos, focando em ações nas áreas de Pessoas, Planeta, Prosperidade, Paz e Parcerias. 

Ao meu ver, esses 17 quadradinhos já servem como um guia ideal para empreendedores que querem inovar, fazer diferente e propor coisas novas que nunca foram feitas. Imagine fazer isso tudo com foco em solucionar esses problemas que são tão importantes para a humanidade?

Tem muita gente que já está fazendo isso por aí! 

Temos, por exemplo, a Geekie, uma plataforma tecnológica que leva aprendizagem personalizada a estudantes da rede pública e privada, que está diretamente ligada à ODS 4 – Educação de Qualidade; o Programa Vivenda, que promove reformas habitacionais de baixo custo que torna moradias periféricas mais dignas, e se liga à ODS 9 e 11; ou o app Hand Talk, que é uma plataforma que traduz simultaneamente conteúdos em português para a língua brasileira de sinais e tem por objetivo a inclusão social de pessoas surdas, e está ligada à diversas ODS, mas em especial a 10. E tem muitas outras iniciativas que também estão revolucionando o mundo!

Por isso, eu tenho um desafio para você: que tal, quando você estiver pensando na próxima coisa que você vai criar, você procurar um problema dentro dessas 17 caixinhas?

Tenho certeza que você vai se identificar com alguma, e, quem sabe, encontrar uma solução inovadora para ela! Assim, conseguiremos trabalhar juntos para que em 2030 estejamos mais perto de alcançar todas essas metas.

Como responder directs do Instagram direto pelo computador

Hoje as redes sociais são fundamentais para qualquer negócio. Existir e interagir digitalmente cada vez mais deixa de ser uma opção e se torna obrigatório. Contudo, não adianta apenas estar presente nas redes e não interagir com seus seguidores!

Uma das vantagens que o Instagram traz é a facilidade de respostas e interações rápidas com clientes em potencial. Você consegue isso pelos comentários e curtidas nas fotos, mas principalmente pelo direct, o chat direto do instagram. Muitas pessoas inclusive focam o atendimento inteiro nas conversas privadas no instagram e conseguem várias conversões.

Mas sabemos que às vezes ficar o dia inteiro abaixado mexendo no celular pode cansar – e na verdade nem faz bem para você. Sei que você já sabe que tem como responder o whatsapp pelo whatsapp web, e se eu te contar que também é possível responder directs pelo computador?

Sim! Tem como, e eu vou te ensinar duas formas de fazer isso.

Se você usa o Windows 10 siga esses passos:

Passo 1: Clique na janela do Windows e digite Microsoft Store

Passo 2: Clique em pesquisar

Passo 3: Baixe o aplicativo do Instagram para o seu computador

Com o aplicativo do Instagram instalado em seu computador, você consegue fazer tudo no Instagram (curtir, comentar, responder as pessoas, ver e responder stories), menos postar novas fotos e stories.

E, claro, você consegue responder os seus directs!

Se você não usa Windows, ou quer testar outra forma, uma outra opção é utilizar o MLabs para isso.

O MLabs te dá a opção de unificar as caixas de entrada de todas as redes sociais vinculadas (você pode sincronizar sua conta do Facebook, Twitter, Instagram, Analytics, Pinterest, Linkedin e YouTube!)

E depois de sincronizado, você consegue optar tanto por escolher cada caixa de entrada única ou ver todas ao mesmo tempo.

É uma ótima forma de conseguir gerenciar todos os seus chats e não deixar nenhuma mensagem sem resposta. O MLabs tem uma taxa mensal, e também vários outros recursos para facilitar a sua vida nas redes sociais!

Espero que você tenha curtido as dicas e que isso te ajude a ter um contato maior com os seus clientes! Não se esqueça que é a interação que vai fazer com que eles lembrem de você e comprem o seu produto ou serviço.

Depois conte para gente se deu certo!

Ganhar dinheiro ou fazer o bem?

Entre ganhar dinheiro e fazer o bem, eu sempre fico com os dois! Nós viemos de uma era que considerava o lucro e o dinheiro como coisas ruins, que enxergava o capitalismo como vilão e as empresas como entidades que só querem ganhar em cima de você. Felizmente, estamos entrando em um novo mindset que consegue aliar essas duas coisas, e entende que o empreendedorismo é uma ótima forma de alcançar um mundo melhor!

É o que chamamos hoje de Empreendedorismo Social e de Capitalismo Consciente. É sobre olhar o mundo com outros olhos, enxergar um problema na sociedade e buscar uma solução para ele – mas uma solução mais abrangente, que olhe o todo e traga um impacto positivo para a sociedade. E são muitos os casos de empresas que já tem feito isso, e há quem diga que esse é o futuro e que logo serão somente essas empresas que irão ter sucesso.

É o caso, por exemplo, da TOMS, que surgiu de uma viagem em que o Blake Mycoskie, fundador da marca, enxergou o número de crianças descalças na rua e todos os problemas que isso poderia gerar. Dali surgiu a ideia da loja de sapatos One by One – a cada sapato que você compra, eles doam um sapato para quem não tem.

E também da Reserva, marca de roupas masculinas, que queria fazer algo para mudar a educação no Brasil, e viu que crianças com fome não conseguem se concentrar na escola. Por isso, a cada roupa que você compra são doados 5 pratos de comida para comunidades carentes.

E, ainda, empresas como o Projeto Vivenda que acredita que todos tem direito a uma moradia digna. Visando democratizar esse acesso, eles apresentam uma solução completa para reformas em casas, a um baixo custo, sem burocracia e em pouco tempo, para ajudar as famílias carentes a terem uma casa mais bonita e funcional.

É possível transformar o seu propósito em um negócio e viver disso! E, a melhor parte, é que as pessoas estão se identificando com isso e preferindo comprar de uma marca consciente que faz o bem, do que de outra que as vezes faz a mesma coisa há mais tempo, mas não tem a mesma paixão e o mesmo objetivo.

Ao empreender, que tal pensar no que você sabe fazer, no que você ama, e, também, em como você pode usar isso para melhorar o mundo? Dessa forma você aumenta as suas chances de ser mais feliz, melhora a vida de muitas pessoas e ainda atraí quem pensa como você – e, com isso tudo, vende mais. É um win-win environment, um ambiente incrível em que todo mundo ganha!

Esse é um assunto amplo com muitos conceitos, modelos e ideias legais! Que tal nos encontrarmos de novo por aqui para falar mais sobre o Empreendedorismo Social e o Capitalismo Consciente?