Trabalho com Propósito

A palavra “trabalho” tem sua origem no latim “tripallium”, um objeto de tortura formado por três (tri) paus (pallium). Dessa forma, originalmente, trabalhar significa ser torturado no tripallium. Na época, as pessoas que trabalhavam eram os escravos e pobres, destituídos de posses. Por isso, a ideia de tortura dizia respeito não apenas à tortura em si, mas também às atividades braçais que esses trabalhadores realizavam.

Após a Revolução Industrial, a palavra trabalho passou a ter uma série de diferentes significados, tais como: “aplicação das forças e faculdades (talentos, habilidades) humanas para alcançar um determinado fim”; “o emprego, o ofício ou a profissão de alguém”; “atenção empregada na realização ou fabricação de alguma coisa”.

Atualmente, estamos vivendo uma mudança de era. O avanço das tecnologias e da forma como nos relacionamos permitiu que o trabalho possa ser realizado a qualquer momento, de qualquer lugar. Você não precisa mais trabalhar das 08:00 às 18:00 dentro de um escritório físico. Além disso, novas profissões surgem todos os dias, como influenciadores digitais e analistas de dados.

Essas mudanças permitiram a existência de um movimento de pessoas que não querem mais trabalhar somente pelo seu sustento material, mas também para se sentir realizadas com o que fazem. Começamos a entender que o trabalho ajuda a nos moldar. Nos tornamos pessoas melhores ou piores a partir do que trabalhamos e de como nos sentimos em relação a ele. Por isso, passamos a buscar um trabalho que tenha propósito.

Trabalho com propósito é aquele que está relacionado com seus valores, com sua personalidade, com suas metas de vida. É o trabalho que te deixa verdadeiramente realizado. Esse trabalho pode ser qualquer coisa, desde que faça sentido para você. Algumas pessoas têm encontrado esse propósito investindo em carreiras corporativas, concursos públicos, atuando como autônomas, criando novos negócios ou organizações sem fins lucrativos ou até mesmo realizando trabalhos voluntários.

A grande questão é que a maioria das pessoas está tentando encontrar ou descobrir o seu propósito, quando na verdade esse processo deve ser mais proativo. Trabalho com propósito não é algo que você encontra, não é algo que você nasceu para fazer. É algo que você cria! Isso porque nossos conhecimentos, habilidades, atitudes, gostos, paixões e objetivos mudam ao longo da vida. Não existe uma única alternativa de trabalho. Não existe determinismo. Existe o trabalho que te torna mais realizado naquele momento.

Então, criar seu trabalho com propósito demanda uma boa dose de autoconhecimento. Por isso, sugiro fazer uma profunda análise interna para identificar seus valores e opiniões sobre trabalho. Uma vez que você tem clareza sobre o que gosta de fazer, o que sabe fazer, em que tipo de ambiente quer trabalhar, qual rotina deseja ter, o que tem para começar, quem pode te ajudar e qual problema quer resolver, fica mais fácil saber quais opções de trabalho eliminar. Saber o que não fazer é tão importante quanto saber o que fazer.

Em seguida, você deve gerar ideias de possíveis trabalhos que te tragam um senso de propósito e realização. Qual trabalho você faria por paixão e não por obrigação? Qual trabalho você faria se o dinheiro não importasse? Qual trabalho você faria se a opinião dos outros não importasse? Qual trabalho você faria se tivesse todo o tempo todo mundo? Usando essas perguntas provocadoras, tente gerar o maior número possível de ideias de carreira ou negócio para você, mesmo que elas não façam sentido agora.

Uma vez que você tem as ideias, você precisa testá-las. Você pode entrevistar pessoas que têm trabalhos parecidos com os que você deseja para entender se suas atividades e rotinas são como você imagina. Pode ser sombra de um executivo ou empreendedor para entender o que ele faz. Pode tentar conseguir um estágio não remunerado por algumas semanas ou meses para descobrir se vai gostar daquele trabalho. Pode elaborar protótipos simples de sua ideia de negócio e fazer testes com possíveis clientes para identificar se existe mercado, de fato, para ele.

O importante é entender que as opções de trabalho não são definitivas. Você não precisa se contentar com a primeira boa opção que aparecer. Precisa testar até encontrar aquela que te fará mais feliz e realizado. Precisa estar disposto a mudar e se arriscar. Não tenho dúvidas de que você vai errar no caminho, mas também vai aprender com esses erros.

Criar um trabalho com propósito dá trabalho. Você precisará investir seu tempo e dedicação nessa jornada, entendendo que o processo não é uma linha reta. Saiba que a responsabilidade de encontrar sentido no trabalho é sua e de mais ninguém. Ao invés de culpar seu chefe ou o azar por fazer algo que detesta, você pode buscar criar alternativas para esse problema.

Não existe um único propósito para você e que ele pode mudar mais de uma vez ao longo de sua vida. Você não nasceu para fazer uma única coisa. Pare de buscar seu propósito e comece a cria-lo!

Para te ajudar nessa jornada, quero te apresentar o novo curso da Sempreende: Trabalho com Propósito. Nele, irei te ajudar a passar por um processo de autoconhecimento, usando várias ferramentas, para que você consiga entender melhor quais são seus valores, seus pontos fortes e fracos e que tipo de trabalho combina com você. Clique aqui para saber mais!

Potencialize suas vendas no Dia das Mães

O Dia das Mães é a segunda data mais importante para o comércio e só perde em volume de vendas para o Natal. Segundo pesquisa realizada pela OLX em janeiro deste ano, 44% dos filhos querem gastar mais no Dia das Mães em 2019 do que gastaram em 2018.

Para aumentar o faturamento e o número de clientes nessa data, é importante estar bem preparado e usar a criatividade para se diferenciar. Confira 7 dicas para potencializar seus resultados durante o período:

Prepare sua equipe

Sua equipe deve estar preparada não apenas para o aumento do fluxo de vendas, mas também para saber indicar o presente ideal para cada tipo de mãe e para cada tipo de cliente.

Treine seu time para que os membros saibam todos os produtos disponíveis na loja, memorizem preços, consigam indicar boas opções de acordo com o bolso do cliente e agilizar a compra.

Também é importante estar preparado para atender bem os casos de trocas ou devolução. O bom atendimento nessa data pode garantir um cliente que volta sempre.

Faça combinações de produtos

Uma boa forma de aumentar o ticket médio é oferecer kits ou pacotes, com combinações de produtos que funcionam bem juntos, tal como a carteira combinando com a bolsa, por exemplo.

Você pode deixar várias opções de kits montadas, com embalagens próprias e diferentes faixas de preço para atender seu público. A intenção é facilitar e agilizar a decisão de compra.

Ofereça soluções completas

Facilite a vida de seu cliente ao oferecer uma solução que resolve todo o problema. Se for vender uma flor, por exemplo, já venda no vaso em que ela deve ficar, com um laço bonito adequado para presentear. Se seu produto demanda uso de pilhas, venda a pilha junto para que o cliente não precise ir até outra loja comprar.

Utilize as redes sociais de forma criativa

Em vez de somente informar seu cliente de que você tem opções para o Dia das Mães, gere conteúdo interessante para ele. Você pode fazer sugestões de presentes ideais para o perfil de cada mãe, pode fazer vídeos que demonstrem todos os benefícios do produto/serviço.

Pode ensinar como fazer um cartão bonito à mão para complementar o presente, ou até mesmo fazer campanhas nas quais o filho envia um depoimento para a mãe e concorre a prêmios. Use o aspecto emocional da data para fugir de postagens triviais.

Invista em embalagens

O presente de dia das mães é uma espécie de homenagem e tem alto valor sentimental. Por isso, embalagens bonitas e criativas podem ser um ótimo incremento e fator decisivo na hora da compra.

Ainda, é uma forma de divulgar sua marca, pois a pessoa que recebeu o presente pode fotografar ou até mesmo guardar a embalagem para utilizar novamente.

Faça parcerias

Você pode agregar valor ao seu produto ao fazer parcerias com outras lojas, profissionais ou influenciadores digitais. Uma opção é oferecer descontos para clientes de uma loja parceira, ou promover sorteios nas redes sociais de empresas que se complementam (ensaio fotográfico e maquiagem, por exemplo), ou ainda enviar produtos para influenciadoras digitais como presente nessa data.

Invista em opções para sogra, avó e madrinha

Além de presentear as mães, muitas pessoas costumam presentear outras pessoas pelas quais elas têm um carinho maternal. É o caso das avós, sogras e madrinhas. Tenha opções de presente para esse público, ainda que mais baratas.

Garanta que elas estejam expostas perto dos presentes direcionados para as mães e que sua equipe se lembre de oferecer essas opções antes de finalizar a venda. Pode ser uma ótima forma de estimular a compra por impulso.

O movimento do comércio aumenta durante o Dia das Mães, mas são sua criatividade e preparação que garantem os bons resultados nessa data! Organize-se para faturar mais e ganhar novos clientes.

Situações que atrapalham suas vendas

Amanda queria comprar um presente para uma amiga. Foi em sua loja de decoração preferida e já sabia o que comprar. Ela estava com pressa e estava chovendo. A loja tinha apenas três vagas de estacionamento, que estavam todas ocupadas. Ela deu três voltas no quarteirão, não encontrou nenhuma vaga e desistiu de comprar.

Isso provavelmente já aconteceu quando você quis comprar alguma coisa. E, se você é dono de uma loja, você já deve ter perdido vendas por esse motivo. Um funcionário atento do lado de fora, segurando um guarda-chuvas, poderia ser suficiente para resolver o problema.

A falta de estacionamento pode ser uma das causas, fáceis de resolver, que esteja atrapalhando suas vendas. A seguir estão outros fatores que também podem dificultar suas vendas e dicas para solucioná-los:

Os fatores fisiológicos: fome, sede ou vontade de ir ao banheiro

Quando o cliente está incomodado com algum fator fisiológico (como muita fome ou com muita sede), ele terá mais dificuldades para se concentrar na compra. Além disso, a fome ou a sede podem deixar o cliente mais nervoso, mais impaciente e até fazer que ele desista de comprar.

Se você tem qualquer tipo de negócio, é interessante ter sempre um lanchinho, água, café e toalete para oferecer como cortesia. Ainda, caso tenha um restaurante, pode ter algumas entradas rápidas, por exemplo, para oferecer gratuitamente aos clientes que estejam nessas situações.

Os fatores ambientais: a aparência do seu negócio

Se sua fachada está suja ou velha, se os letreiros estão queimados ou estragados e se o ambiente está sujo, o cliente pode ter uma péssima impressão. Mesmo se o seu produto ou serviço for o melhor da cidade, novos clientes podem nem mesmo querer te conhecer caso sua apresentação não demonstre sua qualidade.

Somos extremamente visuais e associamos limpeza com qualidade. Por isso, cuide para manter sua empresa sempre limpa e bem cuidada. No dia a dia é fácil deixar isso passar. Tenha um olhar atento, como se você fosse o seu cliente mais exigente. Não desconsidere os pequenos defeitos da aparência do seu negócio (como uma parede sem tinta ou um cardápio rasgado). Seus clientes estão te julgando por tudo que estão vendo.

Os fatores psicológicos: um momento especial

Em ocasiões especiais, o cliente tende a ser mais exigente com a qualidade do atendimento. Observe se ele está comemorando um aniversário ou se está comprando para uma causa específica e importante e dê uma atenção redobrada nesses casos.

Ainda, o cliente tem necessidade de se sentir valorizado e visto. Quando os funcionários demoram muito para atender, o cliente tende a ir embora – ou pelo menos ficar com vontade de ir. Garanta que alguém sempre o receba em no máximo 10 segundos. Você também pode garantir que a espera (quando ela precisa acontecer) seja mais agradável. Basta oferecer wi-fi gratuita, revistas para leitura, jogos, ou qualquer coisa que o distraia (mas pense que precisa ser algo que seu cliente realmente gosta).

Quem oferece serviços deve estar atento a todo o processo de atendimento, desde a chegada do cliente até sua saída. Imagine que todo o processo de um salão de beleza tenha sido ótimo, exceto o momento do pagamento. O cliente pode ficar insatisfeito e falar mal do estabelecimento como um todo mesmo se apenas seu último contato com o serviço tenha sido ruim.

Você, como empreendedor, deve sempre se colocar no lugar do cliente. Pense como você se sente quando vai comprar e suas necessidades não são atendidas. A diferença entre o bom e mal atendimento está nos detalhes. Pense nisso!