13 ações que você pode fazer para seu negócio sobreviver à crise do COVID-19

As notícias e incertezas causadas pela pandemia do COVID-19 tem deixado todos preocupados, não apenas pela saúde pública, mas também pela crise econômica que já começa a pairar. Apesar disso, o desespero e o pessimismo não irão contribuir com a saúde do negócio. Por isso, aqui estão 13 ações práticas que você pode fazer para mitigar os efeitos da crise na sua empresa:

  1. Foque na comunicação: seus funcionários e clientes precisam de informações transparentes e confiáveis. Não tome decisões sem compartilhar com a equipe, não fique vários dias sem conversar com seu cliente. Informação transmite segurança e seriedade. Dependendo do tamanho de sua empresa, é ideal escolher uma única pessoa que será responsável por toda a comunicação interna e externa. Escolha alguém calmo, equilibrado e que transmita credibilidade.
  2. Reduza ao máximo os seus custos: você precisa preservar seu caixa. Por isso, renegocie aluguel, prorrogue prazos com fornecedores, cancele mensalidades de serviços dispensáveis e fique de olho nas medidas adotadas pelo governo (é possível prorrogar o pagamento do Simples e FTGS, por exemplo).
  3. Pense em formas diferentes de entregar seu produto ou serviço: sua empresa surgiu para atender as necessidades do cliente. Se as necessidades do cliente mudaram, sua forma de vender e entregar precisa mudar também. Pense em criar infoprodutos (aqueles que podem ser vendidos pela internet), em fazer entregas na casa do cliente ou por meio de drive-through.
  4. Mantenha o relacionamento com o cliente: ainda que você não tenha um negócio que pode continuar funcionando durante a quarentena, mantenha-se conectado com o cliente. Ele não vai se lembrar de você caso você suma. Gere conteúdo com dicas que o ajudem. Por exemplo: se você vende vestidos de noiva e suas vendas caíram, pense em dar dicas para as noivas sobre como adiar o evento. Assim, elas sabem que podem contar com você e irão te procurar quando decidirem comprar.
  5. Faça parcerias: pense em pelo menos 3 empresas que podem ser suas parceiras, seja para te ajudar a reduzir custos, a fazer entrega, a te divulgar ou garantir que você seja lembrado pelo cliente. É momento de colaboração, não de competição.
  6. Reescreva e relembre seu propósito: em momentos de desespero, é muito fácil perder de vista o que nos levou a querer empreender e a tomar decisões desesperadas para vender de qualquer jeito. Por isso, relembre o seu propósito! Para não desanimar, você precisa ter clareza do que te motivou, até para não sair vendendo coisas que não têm nada a ver com você.
  7. Tire o “não vai dar” do seu vocabulário: o pessimismo mata as boas ideias. O momento é difícil, novo e inesperado. As soluções existentes não são suficientes, pois o problema não é o mesmo. Por isso, pare de bloquear suas ideias. As ideias mais malucas podem ser exatamente a solução que você precisa. Converse com pessoas, busque inspirações, ative sua mente criativa.
  8. Procure saber o que empresas de outros países fizeram: o Brasil está alguns dias ou meses atrás de outros países que enfrentam a pandemia. Além disso, países que sofrem com desastres naturais já passaram por momentos de dificuldades semelhantes a esse. Pesquise o que as empresas fizeram para dar a volta por cima. Você pode ter ótimas inspirações.
  9. Melhore seu atendimento online: não adianta colocar a equipe em home office e passar a vender pela internet se seu atendimento não é bom. Foque na agilidade, preste atenção no seu tom de voz e garanta que está facilitando a vida do cliente.
  10. Arrume a casa: esse é um bom momento para fazer todas aquelas coisas que você nunca tem tempo de fazer. Revise seu perfil no LinkedIn. Melhore seu site. Crie novas apresentações para seu portfólio. Limpe os armários. Deixe tudo em ordem e preparado para quando a crise passar.
  11. Elabore uma ação de reabertura como uma segunda inauguração: quando o período da quarentena acabar, muita gente vai querer comprar. Prepare ações interessantes e baratas para chamar a atenção do cliente. Garanta que você seja visto primeiro e que seja mais atraente que seus concorrentes.
  12. Faça um planejamento estratégico considerando um cenário otimista, um pessimista e um pior ainda: é hora de gerar ideias e se preparar. Pense em como seu negócio pode sobreviver se as coisas complicarem ainda mais. Não espere o problema para gerar ideias de soluções.
  13. Cuide de sua saúde mental: não adianta olhar para o negócio e para sua equipe e se esquecer de você. O momento pede agilidade, mas não pressa. Garanta que você está emocionalmente bem. Faça terapia, meditação, exercícios físicos. Peça ajuda se for necessário. Desacelere quando sentir que precisa.

Todo mundo já cansou de ouvir que empreendedores arriscam, perseveram, são resilientes e sabem passar por dificuldades. Essa é a hora de colocar esses conceitos em prática. Com sabedoria, planejamento e agilidade, tenho certeza de que você conseguirá conduzir seu negócio durante a crise e colher os frutos depois que ela passar. O importante é se manter em movimento.

10 passos para potencializar o planejamento estratégico da sua empresa

Uma das maiores dificuldades relatadas por empreendedores é saber planejar. Por onde começar, quais elementos devem ser considerados, quem deve opinar. Para você que também possui dúvidas como essas ou que deseja ser mais efetivo, confira abaixo dez dicas para potencializar o planejamento estratégico da sua empresa.

Passo n° 01: Conheça o seu empreendimento a fundo

O primeiro passo é saber como ninguém o que você faz. Conheça seus produtos, serviços, colaboradores, tecnologias adotadas, processo produtivo, opiniões dos clientes sobre a empresa, etc. Saiba tudo em detalhes! Somente assim será possível pensar estrategicamente sobre o futuro.

Passo nº 02: Analise o contexto que envolve o negócio

Conhecer os concorrentes, hábitos de consumo de potenciais clientes, ações governamentais que podem afetar (positiva ou negativamente) a empresa é fundamental para qualquer bom planejamento. Esses são fatores que impactarão, ainda que indiretamente, o seu negócio.

Passo n° 03: Defina a missão da empresa

Missão é a razão de ser do empreendimento apresentada em um texto curto, objetivo, de fácil entendimento e memorização. A missão deve ser curta para ser lembrada!

Passo nº 04: Defina a visão

Qual é o futuro esperado para o negócio? A visão determinará a posição do empreendimento a curto, médio e longo prazo. E, assim como a missão, deve ser breve para ser facilmente comunicada.

Passo nº 05: Defina os valores

Valores são os princípios éticos, ideais de comportamento e resultados que nortearão as ações da empresa. Pergunte-se: o que nós (empresa) mais estimamos? Juntamente à missão e visão, os valores representam a direção estratégica do seu empreendimento.

Passo nº 06: Trace objetivos

A cada trimestre determine quais os objetivos serão alcançados naquele período. Parta do nível organizacional (empresa) e vá até o nível operacional (funcionário). E para cada nível determine até cinco objetivos claros.

Passo nº 07: Estabeleça metas

Para cada objetivo, elabore até quatro metas que vão te dizer se você alcançou ou não o que foi planejado. Para que essa determinação seja possível, as metas devem ser mensuradas por indicadores (ex.: dobrar o volume de vendas no período de 01 a 30 de maio).

Passo n° 08: Elabore planos de ação

Tendo claros os objetivos e metas de cada nível da empresa, descreva em um plano a importância de persegui-los, quem será o responsável por atingi-los, como isso será feito, o quanto irá custar e qual será o prazo. Desta forma, você visualizará mais facilmente todos os elementos de cada ação e exercerá um maior controle sobre eles.

Passo nº 09: Permita que os funcionários contribuam com o planejamento

Especialmente na definição de elementos que se refiram às suas atribuições, a participação de funcionários pode, além de promover uma maior motivação, impulsionar o alcance de resultados.

Passo nº 10: Monitore os resultados

Quando planejamos e sabemos o que esperar (objetivos e metas claros), torna-se mais fácil acompanhar o desenvolvimento e saber se estamos no caminho certo ou nos distanciando do que foi determinado no início. Assim, traçar um novo curso de ação em face às dificuldades torna-se mais simples e seguro.

Tenha em mente que esses dez passos são importantes e têm o potencial de te ajudar a elaborar um eficiente plano estratégico. Contudo, não se trata de uma receita pronta, mas de um direcionamento, já que cada empresa é única e fatores diversos influenciam o planejamento.

O mais importante é tornar o ato de planejar um hábito, uma rotina na sua vida empresarial, pois somente assim o caráter estratégico deixará o papel para de fato fazer a diferença no seu negócio.