Quer vender mais com seus posts? Siga esse modelo de texto!

Escrever um post que convence seu público a comprar de você nem sempre é tarefa simples. Muitas vezes você quebra a cabeça, passa horas tentando escrever alguma coisa, acha que está bom e, quando posta, o resultado é triste: poucos cliques, pouco engajamento, pouca venda. Acontece que ninguém nos ensinou a escrever para vender. Você sabe escrever, é claro, mas parece que o que você escreve não toca o cliente.

O primeiro resultado disso é a frustração. Você escreve um texto esperando que as pessoas leiam e gostem. E, quando ninguém parece se importar com o que escrevemos, parece que o resultado foi em vão. Outro resultado é o prejuízo. Quando a gente tem um negócio e usa os posts do Instagram para vender, e ninguém compra por causa do post, temos um dia de vendas baixas, e o impacto disso é, obviamente, horrível.

Para escrever textos que vendem, ninguém precisa ter nascido com um dom especial. Tenho alunos de várias profissões – dentistas, advogados, psicólogos – e a maioria deles, quando vão fazer posts para alguém que não é da mesma área, têm uma dificuldade enorme na comunicação. Geralmente eles usam palavras técnicas, que para eles são básicas e fáceis, mas que o cliente não entende. Sem falar na estrutura do texto em si: muitos fazem posts mostrando o produto e não necessariamente as vantagens que o cliente vai ter ao utilizá-lo. Por exemplo: se estão vendendo um relógio, falam do material que ele é feito, e não da durabilidade que aquele material é responsável por fazer.

Acontece que existem técnicas para escrever textos. Assim como existem técnicas para vender, técnicas para prescrever um remédio, ou técnicas para construir uma casa. No caso de textos que vendem, chamamos de copywriting. Não é necessário ser formado em publicidade ou em marketing para ser capaz de escrever bons textos que vendem. Quem conhece e treina essas técnicas (por exemplo, para chamar a atenção, para mostrar um problema ou para contar uma história) consegue escrever textos que são verdadeiros vendedores – e aí, literalmente, vendem com seus posts no Instagram ou em qualquer outro lugar. Perceba que textos que vendem são aqueles que prendem a leitura, que te atraem, convenecem e fazem você ver que aquela ideia (ou produto) realmente é boa.

Por exemplo, esse texto aqui foi escrito usando o modelo PASTOR, que é um modelo de texto que vende. PASTOR é o acrônimo de: Problema, Amplificação, Story (história), Transformação, Oferta e Resposta. No primeiro parágrafo, eu falei sobre um problema que você deve ter. No segundo, falei que esse problema realmente é sério. No terceiro parágrafo, contei uma história dos meus alunos. No quarto, falei sobre a transformação de conhecer copywriting. Nesse parágrafo aqui estou mostrando uma oferta (que, nesse caso, é simplesmente mostrar o modelo PASTOR). No parágrafo seguinte, caso eu continue usando esse modelo, eu pediria para você fazer alguma coisa.

Veja que é um modelo que faz muito sentido e que, se você chegou até aqui, ele realmente te chamou a atenção e, pelo menos para você, funcionou. Seguir uma estrutura assim é muito mais interessante do que simplesmente começar um texto sem pensar no que vai em cada parágrafo. É mais interessante fazer um texto usando um modelo que já funcionou, e que tem grandes chances de funcionar novamente.

Há várias outras técnicas para escrever textos que vendem, ou seja, de copywriting. Esse foi um exemplo simples de estrutura para você fazer um post, ou um anúncio, ou um e-mail, que leva seu leitor a fazer o que você pede.

No Comunica, que é o curso de Copywriting da Sempreende, eu falo sobre várias outras técnicas. É o tipo de curso que você precisa fazer caso queira aumentar o interesse do seu público pelos seus textos, aumentar seu engajamento e, mais importante, aumentar suas vendas. Se inscreva clicando aqui!

5 dicas para um ótimo atendimento no WhatsApp

Usar o WhatsApp para atender clientes deixou de ser uma novidade e passou a ser uma prática comum. Isso não quer dizer que esse atendimento possa ser feito de qualquer jeito ou que podemos tratar os clientes da mesma forma que tratamos os nossos amigos nessa rede. Por isso, preparei 5 dicas para te ajudar a usar o WhatsApp da melhor forma possível em sua empresa:

1.    Responda rápido: da mesma forma que esperamos ser atendidos rapidamente quando fazemos uma ligação ou entramos em uma loja, esperamos ser respondidos rapidamente quando enviamos uma mensagem no WhatsApp. Não existe uma regra em relação ao tempo máximo aceitável para responder a mensagem, mas o ideal é que você não demore mais que alguns minutos para fazer isso. Caso a sua demanda de atendimentos seja alta, uma boa alternativa é responder algo do tipo: “Olá! Estou finalizando um atendimento e te responderei em alguns minutos.” Dessa forma, a pessoa sente que já foi vista e sabe que terá que aguardar um pouco, mas será atendida.

2.    Cuidado com o uso de mensagens automáticas: uma alternativa usada por quem recebe muitas mensagens é enviar mensagens desse tipo. Elas devem ser usadas com moderação. Pessoas gostam de se relacionar com pessoas, não com robôs. Use uma mensagem automática apenas para informar o horário de atendimento e o tempo esperado para responder. Não envie todas as informações de modo automático, pois o cliente quer interagir com você e não sentir que você está despejando informações para evitar conversar com ele.

3.    Cuide das palavras e revise seu texto: a impressão que seu cliente terá de sua empresa depende de como é a conversa pelo WhatsApp. Por isso, garanta que suas respostas estão sendo simpáticas, atenciosas e transmitindo todas as informações importantes. Releia os textos para ter certeza de que sua mensagem é compreensível e não contém erros ortográficos. Tenha cuidado com o uso de palavras em caixa alta, que dão a impressão de que você está gritando. Use emojis e figurinhas com moderação. Eles podem ser seus aliados para tornar a conversa mais leve e agradável, mas apenas se o tipo de conversa e de cliente permitirem. É sempre bom evitar piadinhas e ironia.

4.    Revise as conversas para garantir que ninguém ficou sem resposta: um dos problemas do WhatsApp é que nem sempre a pessoa responde na hora que você gostaria. Por isso, alguma conversa pode acabar ficando esquecida. Uma boa prática é criar o hábito de rolar a aba de conversas para baixo várias vezes ao dia e entrar em cada uma delas para ter certeza de que ninguém ficou sem resposta. Você pode fazer isso três vezes ao dia: ao final da manhã, no meio da tarde e antes de encerrar o expediente. Isso também aumentará suas chances de fechar as vendas, uma que vez que retomar conversas que pareciam perdidas as transforma em oportunidades novamente.

5.    Áudio só com autorização: antes de enviar áudios, pergunte se a pessoa consegue ouvir no momento. Muita gente utiliza o WhatsApp exatamente porque não pode, ou não quer ouvir uma mensagem de voz. Caso autorizado, seja breve em seus áudios e garanta que seu tom de voz está animado e adequado para a conversa.

A regra de ouro para atendimento é a empatia. Faça com o seu cliente o que gostaria que fizessem com você. Eu tenho certeza que você não gosta de esperar muito para ser atendido, não gosta de ser incomodado com áudios longos, não quer ler respostas automáticas que não respondem suas dúvidas e teria uma impressão ruim de uma empresa que escreve com vários erros ortográficos. Por que seu cliente seria diferente? 

Potencialize suas vendas no Dia das Mães

O Dia das Mães é a segunda data mais importante para o comércio e só perde em volume de vendas para o Natal. Segundo pesquisa realizada pela OLX em janeiro deste ano, 44% dos filhos querem gastar mais no Dia das Mães em 2019 do que gastaram em 2018.

Para aumentar o faturamento e o número de clientes nessa data, é importante estar bem preparado e usar a criatividade para se diferenciar. Confira 7 dicas para potencializar seus resultados durante o período:

Prepare sua equipe

Sua equipe deve estar preparada não apenas para o aumento do fluxo de vendas, mas também para saber indicar o presente ideal para cada tipo de mãe e para cada tipo de cliente.

Treine seu time para que os membros saibam todos os produtos disponíveis na loja, memorizem preços, consigam indicar boas opções de acordo com o bolso do cliente e agilizar a compra.

Também é importante estar preparado para atender bem os casos de trocas ou devolução. O bom atendimento nessa data pode garantir um cliente que volta sempre.

Faça combinações de produtos

Uma boa forma de aumentar o ticket médio é oferecer kits ou pacotes, com combinações de produtos que funcionam bem juntos, tal como a carteira combinando com a bolsa, por exemplo.

Você pode deixar várias opções de kits montadas, com embalagens próprias e diferentes faixas de preço para atender seu público. A intenção é facilitar e agilizar a decisão de compra.

Ofereça soluções completas

Facilite a vida de seu cliente ao oferecer uma solução que resolve todo o problema. Se for vender uma flor, por exemplo, já venda no vaso em que ela deve ficar, com um laço bonito adequado para presentear. Se seu produto demanda uso de pilhas, venda a pilha junto para que o cliente não precise ir até outra loja comprar.

Utilize as redes sociais de forma criativa

Em vez de somente informar seu cliente de que você tem opções para o Dia das Mães, gere conteúdo interessante para ele. Você pode fazer sugestões de presentes ideais para o perfil de cada mãe, pode fazer vídeos que demonstrem todos os benefícios do produto/serviço.

Pode ensinar como fazer um cartão bonito à mão para complementar o presente, ou até mesmo fazer campanhas nas quais o filho envia um depoimento para a mãe e concorre a prêmios. Use o aspecto emocional da data para fugir de postagens triviais.

Invista em embalagens

O presente de dia das mães é uma espécie de homenagem e tem alto valor sentimental. Por isso, embalagens bonitas e criativas podem ser um ótimo incremento e fator decisivo na hora da compra.

Ainda, é uma forma de divulgar sua marca, pois a pessoa que recebeu o presente pode fotografar ou até mesmo guardar a embalagem para utilizar novamente.

Faça parcerias

Você pode agregar valor ao seu produto ao fazer parcerias com outras lojas, profissionais ou influenciadores digitais. Uma opção é oferecer descontos para clientes de uma loja parceira, ou promover sorteios nas redes sociais de empresas que se complementam (ensaio fotográfico e maquiagem, por exemplo), ou ainda enviar produtos para influenciadoras digitais como presente nessa data.

Invista em opções para sogra, avó e madrinha

Além de presentear as mães, muitas pessoas costumam presentear outras pessoas pelas quais elas têm um carinho maternal. É o caso das avós, sogras e madrinhas. Tenha opções de presente para esse público, ainda que mais baratas.

Garanta que elas estejam expostas perto dos presentes direcionados para as mães e que sua equipe se lembre de oferecer essas opções antes de finalizar a venda. Pode ser uma ótima forma de estimular a compra por impulso.

O movimento do comércio aumenta durante o Dia das Mães, mas são sua criatividade e preparação que garantem os bons resultados nessa data! Organize-se para faturar mais e ganhar novos clientes.

Situações que atrapalham suas vendas

Amanda queria comprar um presente para uma amiga. Foi em sua loja de decoração preferida e já sabia o que comprar. Ela estava com pressa e estava chovendo. A loja tinha apenas três vagas de estacionamento, que estavam todas ocupadas. Ela deu três voltas no quarteirão, não encontrou nenhuma vaga e desistiu de comprar.

Isso provavelmente já aconteceu quando você quis comprar alguma coisa. E, se você é dono de uma loja, você já deve ter perdido vendas por esse motivo. Um funcionário atento do lado de fora, segurando um guarda-chuvas, poderia ser suficiente para resolver o problema.

A falta de estacionamento pode ser uma das causas, fáceis de resolver, que esteja atrapalhando suas vendas. A seguir estão outros fatores que também podem dificultar suas vendas e dicas para solucioná-los:

Os fatores fisiológicos: fome, sede ou vontade de ir ao banheiro

Quando o cliente está incomodado com algum fator fisiológico (como muita fome ou com muita sede), ele terá mais dificuldades para se concentrar na compra. Além disso, a fome ou a sede podem deixar o cliente mais nervoso, mais impaciente e até fazer que ele desista de comprar.

Se você tem qualquer tipo de negócio, é interessante ter sempre um lanchinho, água, café e toalete para oferecer como cortesia. Ainda, caso tenha um restaurante, pode ter algumas entradas rápidas, por exemplo, para oferecer gratuitamente aos clientes que estejam nessas situações.

Os fatores ambientais: a aparência do seu negócio

Se sua fachada está suja ou velha, se os letreiros estão queimados ou estragados e se o ambiente está sujo, o cliente pode ter uma péssima impressão. Mesmo se o seu produto ou serviço for o melhor da cidade, novos clientes podem nem mesmo querer te conhecer caso sua apresentação não demonstre sua qualidade.

Somos extremamente visuais e associamos limpeza com qualidade. Por isso, cuide para manter sua empresa sempre limpa e bem cuidada. No dia a dia é fácil deixar isso passar. Tenha um olhar atento, como se você fosse o seu cliente mais exigente. Não desconsidere os pequenos defeitos da aparência do seu negócio (como uma parede sem tinta ou um cardápio rasgado). Seus clientes estão te julgando por tudo que estão vendo.

Os fatores psicológicos: um momento especial

Em ocasiões especiais, o cliente tende a ser mais exigente com a qualidade do atendimento. Observe se ele está comemorando um aniversário ou se está comprando para uma causa específica e importante e dê uma atenção redobrada nesses casos.

Ainda, o cliente tem necessidade de se sentir valorizado e visto. Quando os funcionários demoram muito para atender, o cliente tende a ir embora – ou pelo menos ficar com vontade de ir. Garanta que alguém sempre o receba em no máximo 10 segundos. Você também pode garantir que a espera (quando ela precisa acontecer) seja mais agradável. Basta oferecer wi-fi gratuita, revistas para leitura, jogos, ou qualquer coisa que o distraia (mas pense que precisa ser algo que seu cliente realmente gosta).

Quem oferece serviços deve estar atento a todo o processo de atendimento, desde a chegada do cliente até sua saída. Imagine que todo o processo de um salão de beleza tenha sido ótimo, exceto o momento do pagamento. O cliente pode ficar insatisfeito e falar mal do estabelecimento como um todo mesmo se apenas seu último contato com o serviço tenha sido ruim.

Você, como empreendedor, deve sempre se colocar no lugar do cliente. Pense como você se sente quando vai comprar e suas necessidades não são atendidas. A diferença entre o bom e mal atendimento está nos detalhes. Pense nisso!

Nem sempre encantar o cliente é o melhor a se fazer.

Sua empresa tenta encantar o cliente a qualquer custo? Cuidado! Isso pode ser um tito no pé. Apesar de muitos clientes gostarem de terem suas expectativas superadas com as empresas, e a recomendarem por isso, empresas que focam sua estratégia no encantamento contínuo podem ter sérios problemas.

Um problema que pode acontecer é que o cliente se acostuma a ter suas expectativas superadas em todas as compras que faz (por exemplo, uma loja online que promete entregar em 10 dias e o pedido sempre chega depois de cinco dias).

A partir do momento que o “padrão” se torna o motivo de encantamento, essa super satisfação não acontece mais e, se um dia essa empresa deixar de entregar nos 5 dias, o cliente acostumado a receber no prazo menor pode ficar decepcionado e insatisfeito com o serviço. Em resumo, se seu cliente achar que o “nível subiu” e se acostumar com ele, pode ser difícil entregar algo de menor qualidade.

Outro problema para empresas que querem sempre encantar é que nem todo cliente é igual. Há clientes que se encantam com cartas escritas à mão, enquanto outros simplesmente as ignoram. Então clientes de negócios que prometem encantamento podem se frustar porque não encontraram nada de relevante naquele lugar, e também ficar insatisfeitos

Finalmente, pode haver o excesso de gastos. Empresas que encantam sempre precisam estar atentas ao comportamento dos clientes e estarem inovando constantemente. A inovação não é algo barato e nem sempre é simples – precisa, na maioria das vezes, de recursos financeiros e de uma equipe voltada a criar coisas novas. Reflita se sua empresa tem essa capacidade.

Há outras formas de o cliente retornar à empresa e recomendá-la sem, necessariamente, ficar encantado. O básico é: fazer o serviço bem feito, entregando o que promete. Antes de tentar encantar, faça o mínimo do jeito certo. Imagine os restaurantes do Mc Donalds. Eles dão lucros a seus acionistas e talvez nunca te encantaram – mas fazem o básico de uma forma excelente: refeições rápidas, com sabor e preço já conhecidos.

Então, antes de encantar a todo custo, recomendo que faça as contas: é mais barato oferecer um serviço confiável ou estar sempre tentando encantar? Até quando o negócio terá fôlego para encantar os novos e antigos clientes?

Anúncios nas redes sociais: 4 passos para tornar a venda mais fácil

Fazer anúncios pelo Instagram é algo relativamente fácil. Basta clicar em “promover”, escolher o público, o orçamento e colocar os dados do cartão de crédito. O problema é que muitas pessoas erram pensando que o Marketing da empresa precisa passar só por isso – e os anúncios não geram resultado, sendo desperdiçados tempo e dinheiro.

Os anúncios são a ponta do iceberg do processo de marketing. Para que eles deem certo, é preciso passar antes por essas quatro etapas:

Etapa 01: Conhecer o mercado

Aqui você pode ver pesquisas já prontas ou fazer suas próprias pesquisas para saber como as pessoas estão se comportando, o quê e como elas estão comprando e quantos consumidores existem para aquele produto ou serviço.

Etapa 02: Escolher o público-alvo

Depois de conhecer o mercado, é preciso escolher qual público vamos atingir. Uma loja de alimentos saudáveis pode escolher, por exemplo, atingir mulheres que gostam de ir à academia e que tenham entre 18 e 30 anos ou atingir homens de meia idade que queiram se alimentar bem mas não fazem exercícios.

Etapa 03: Definir o posicionamento

De acordo com o público-alvo escolhido, o próximo passo é definir o posicionamento da empresa, ou seja, como ela será vista na mente do consumidor. Sua empresa pode ser posicionada, por exemplo, como a mais alegre, a mais inteligente, a mais confiável, etc.

Perceba que isso está intimamente ligado ao público-alvo. Utilizando o exemplo anterior: jovens mulheres que gostam de ir à academia valorizam mais lojas de determinado posicionamento, enquanto homens de meia idade dão valor outro posicionamento.

Etapa 04: Escolher o conteúdo e a forma do anúncio

Depois de definido o posicionamento, é a hora de criar o conteúdo e a arte do anúncio seguindo o posicionamento e o que o público-alvo escolhido vai valorizar. Caso o público escolhido seja o feminino, criar um anúncio com a foto de alguém malhando pode gerar mais empatia e aproximação do que se colocarmos a foto de uma pessoa obesa comendo salada.

Observe que, passar por essas quatro etapas e criar os anúncios que o público realmente valoriza vai fazer com que o esforço de venda seja menor. Quando fazemos um anúncio específico para nosso público, estamos oferecendo o que ele quer comprar da forma que ele quer ver.

Não basta ter um produto excelente, é necessário comunicá-lo da forma correta, e essa comunicação é diferente de acordo com as pessoas que queremos atingir. Fazendo isso, a taxa de cliques nos anúncios aumentam e as vendas se tornam mais fáceis.

No curso Marketing com Mídias Sociais para negócios ensinamos de forma prática a selecionar o público-alvo do seu negócio, definir seu posicionamento, realizar um planejamento estratégico de marketing para as suas redes e criar anúncios avançados no Facebook e Instagram.